Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

embuscadamaternidade

Diário de alguém que sonha ser Mãe e tem o difícil papel de tratar a infertilidade por tu.

Diário de alguém que sonha ser Mãe e tem o difícil papel de tratar a infertilidade por tu.

embuscadamaternidade

23
Jun19

Se a vida fosse fácil este blog estava em dia


Embuscadamaternidade

Pois é, a verdade é que eu espero pelos dias fáceis e eles teimam em não chegar. Ando há séculos para vos escrever e pode parecer ridículo, mas não tenho tempo. Não tenho mesmo, de verdade. Ando num ritmo cada vez mais alucinante! O trabalho ocupa grande parte do dia, e os miúdos e as suas quinhentas coisas para tratar deixam-me estafada. Desde festas, à escola, a desportos, a terapias, a maus feitios,  discussões... tem sido um corropio de tarefas e stresses.

Trago novidades boas no meio de tanto turbilhão... O F está cada vez melhor e as previsões da Prof Júlia vão-se mesmo concretizar. A fala continua um bocado atrapalhada, mas neste momento já se exprime sem qualquer dificuldade, diz frases seguidas e até expressões improváveis. As únicas diferenças que se notam são mesmo  palavras mal ditas e o movimento de mãos que faz sempre que fica excitado, ansioso, ou muito feliz... As palavras já sabemos que mais dia menos dia vão ao sítio, os gestos não sei. De facto é coisa pouca, mas faz sempre lembrar e notar perante todos que existe ali qq coisa que não é comum, pelo que gostava mesmo que desaparecesse, para que o pequeno não venha a sofrer com isso.

Entretanto no mês passado pediu-me para largar a fralda de dia , ou melhor ele queria largar as duas, mas a da noite ainda não tirei. Cada vez mais aparece seca, mas eu já defini que vai sair no próximo mês quando estivermos de férias. Ele foi simplesmente brutal na largada da fralda, muito melhor que os irmãos. Praticamente 0 acidentes. E a forma como trabalha na casa de banho é de admirar, como se limpa despeja, arruma o pote se for no pote, despeja a retrete se for lá... Os outros não são nada assim. É mesmo organizado. Habituado a copiar acções, a trabalhar, a cumprir tarefas e objectivos incrível. Ele usa faca e garfo a comer, de forma notável, mérito da educadora, e no final vejam só coloca os talheres em posição de quem terminou, o que eu acho maravihoso. Já os irmãos... ela pede colher porque faca e garfo dão trabalho, e o mais velho colocar os talheres em posição? O que é isso? enfim.

Acho que o miúdo vai largar a fralda da noite antes dos outros dois. Ele está um bem disposto. Acabaram-se praticamente as birrar das incompreensões. Entrou a fala e melhorou ainda mais o seu bom feitio. Ele é um doce e é acarinhado e elogiado em todo o lado. Já para não falar que está um borracho

Em contrapartida tenho o mais velho que me continua a dar dores de cabeça... na escola, a entrada ja se afigurou precoce. Concluímos, depois de reunir com a professora dele e com a Prof Júlia (decidi levá-lo lá por várias questões comportamentais que sempre me preocuparam) que é ainda bastante imaturo. E que embora não lhe faltem capacidades, ao que tudo indica antes pelo contrário, não estaria preparado para entrar na primária. A prof Júlia o ano passado alertou-me para isto. Disse-me mesmo: "depois não venham praqui chorar quando correr mal" e assim foi. Está nesta altura abaixo de todos os colegas ao nível de notas. Ja estive bastante preocupada,  agora percebo que não estava simplesmente preparado. Assim o nosso caminho vai ser mais difícil pela tontice de o querermos meter na escola com os amigos, que ainda por cima nem ficou junto com eles...

Assim alerto-vos para se tiverem filhos condicionais que não os metam aos 5 anos... é um disparate. E depois de muito me informar cada vez se concorda mais que os miudos mais depressa devem entrar com 7 anos do que com 5. Não vale a pena apressar o crescimento, eles só perdem com isso. E a possibilidade de frustrar e ficarem retidos no 2º ano (na primeira classe passam todos obrigatoriamente) é enorme.

Agora entrou de férias e eu estou aqui a pensar metê-lo numa explicadora. Já viram bem, 6 anos... numa explicadora em vez de estar a brincar... Vocês pensam como eu: mas porquê? É contra natura, deixem os miudos brincar... Pois é, mas isso devia ter sido antes, agora ele simplesmente não pode voltar atrás e não pode perder o comboio onde entrou. Vai ser completamente atropelado para o ano se não houver aqui uma ajuda extra, com muita "revolta" minha.

Na escola ele está muito bem, sempre contente, gosta dos amigos da sala. Mas em relação aos trabalhos percebe-se que tem dificuldades e "esconde-se". Tipo... lê isto, resposta "não me apetece, não quero..." e tudo porque acha que não sabe ler...

O feitio dele anda ao mais alto nível de dificuldade. Vocês sabem que este sempre nos deu que fazer e assim continua. Tenho momentos de elevado desespero. Onde toda a teoria do mundo falha. Falar não resulta, abraçar muito menos, ralhar ele ri, bater piora, berrar é em vão, castigar não dura um segundo enfim... uma impotência. Esse foi um dos motivos porque quis falar com a neuropediatra. A descoordenação dele na natação por exemplo, a fralda á noite, a dificuldade na escola e a agressividade em casa, entre outros pormenores... Conclusão, a médica por outra palavras considerou-me uma mãe histérica, não o disse de maneira nenhuma mas eu senti isso. Disse que ele é muito inteligente, muito imaturo, que precisa de mais atenção, que deve estar a ser esquecido em relação aos outros e que eu deveria repensar o meu "estilo de vida"... estava a referir-se ao trabalho. Eu saí de lá tola. do género, então "a culpa é minha?" juro vos que ainda não entendi bem... porque até quando estou sozinha com ele corre mal portanto não entendo nada disso do precisar de mais atenção... mas pronto depois falo-vos desta consulta com mais pormenor.

Em relação à pequena, essa está uma espevitada , aliás como costume. É uma menina que gosta de mandar e que faz uma ou outra birra. mas também é um doce e vaidosa como só ela. Pede-me para furar as orelhas desde que se lembra de ser alguém e eu estou a pensar fazê-lo agora quando fizer 4 anos. Acho que não há menina que mereça mais uns brincos que ela. Só para verem o género, é a única duma escola imensa que vai de coroa na cabeça quase todos os dias para a escola. Óculos de sol mesmo quando chove ganchos e pulseiras... enfim, uma alegria.

Tenho n coisas para vos contar, Da última vez o Antónuo tinha perdido um dente, pois no espaço de um mês e meio ficou sem 5 à frente, o buraco era enorme, e a terapia da fala ficou bastante prejudicada pela falta dos mesmos. Já vos tinha dito que este também lá anda? Nao me lembro... é um forrobodó. Hoje já tem os dentinhos todos, cresceram rápido e são bem grandes, e ele que tinha uns dentes tão mas tão pequeninos...

Entretanto também foi para o futebol e conselho da prof Júlia e a pedido dele. Vamos lá ver se ajuda na concentração e espeírito de equipa. Não é para o desgaste que ele não se desgasta com pouco...

Agora vou dormir que essa parte tem sido a que mais tem custado. Pois o descanso é pouco.

Um grande beijinho e espero que continuem por aí! 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Visitas

free counter

Estatísticas


Estatisticas Gratis

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Agora