Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

embuscadamaternidade

Diário de alguém que sonha ser Mãe e tem o difícil papel de tratar a infertilidade por tu.

Diário de alguém que sonha ser Mãe e tem o difícil papel de tratar a infertilidade por tu.

embuscadamaternidade

21
Set15

2 Meses e Meio de gente :D


Embuscadamaternidade

Olá!

Os meus meninos estão uns bebés crescidos, continuam sossegados, mas isto de ter gemeos dá muito que fazer! Eu ando que não tenho parança e não me posso queixar porque tenha ajudas. Eles são bestiais, bebés calminhos. A única coisa que os incomoda é o cocozito, ou melhor a falta dele. Aí sim começam os puxanços e choramingam. Também gostam de algum colo à noite, a altura mais difícil é pós jantar. mas de resto se nós deixassemso dormiam a noite inteira!

Foram à médica do centro de saúde a semana passada e já estão com valores mais rechonchudinhos principalmente ele! Ela mede 52 cresceu pouquito e ele 54! Ela pesa 4 kg e ele 4,5. :D Como como se não houvesse amanhã. Estou bons de se comer! :D As feições não se alteraram nada mas o corpinho começa a ficar mais de bebé e a argar todos os sinais de recém nascido. O menino é muito bem disposto passa o dia a sorrir, sorri para tudo e todos e sozinho também. Ela sorri quando lhe falamos. Reagem perfeitamente às pessoas já e começam com os dizeres ba be, é , uh sei la coisas de bebé, adoro ouvir, sabe tãaaao bem! Neste momento estão constipados, principalmente ele. Dá aflição só de ouvir e faz me lembrar muito o irmão, algo me diz que vai ter o mesmo problema... quarta feira finalmente vão à pediatra ando preocupada o F ainda não tonou as vacinas do segundo mês já tivemos que adiar por duas vezes... ela já tomou´, e foi ca uma aflição berrou como se não houvesse amanhã, não lhe conhecia esse choro julguei que fosse sufocar meu Deus, angustia-me muito isso das injecções e agora é tudo a triplicar!

O outro terrorista já se adaptou à escola, ja vai sem problemas, ainda não tem amigos, pelo que me diz mas não levanta dificuldades. Diz que gosta da educadora mas da auxiliar não, ainda estou para perceber porquê! Quanto às asneiras essas não páram eu até diria que são cada vez mais e intoleráveis, Não há forma de o dobrar e começo (ou recomeço) a ficar preocupada... até estou a ponderar levá-lo a um neuro psiquiatra... o miúdo passa de meiguinho para peste um segundo sem ninguém entender porquê... não passa um minuto sem fazer uma asneira e não não estou a exagerar tem sido desesperante isso. Em contrapartida já fala muito mais e melhor, diz imensas palavras, ainda não soletra bem mas dá um prazer imenso ouvi-lo. Repete tudo. Adoro quando diz "Tá muito bom Mamã, cóma (come) mamã tá muito bom!" Agora está na fase do faísca Macqueen,só quer carros, carros, mas num instante se farta dos novos... Já conseguimos pará-lo uma meia hora frente ao ipad às vezes até uma hora e é um feito! Um miúdo que consegue ficar dia e noite sem dormir sempre a correr dum lado para o outro... quem diria que este dia ia chegar...:D

Mudando de tema estou a começar a pensar no baptizado dos gémeos, mas sem grande vontade de tratar. Agora para fazer seja o que for custa-me... neste momento morro de sono só me apetece deitar e dormir dormir dormir!

05
Set15

A nova e difícil aventura Infantil


Embuscadamaternidade

Olá a todos!

Neste momento aproveito para teclar já que tenho algum silêncio!

O meu menino começou no Jardim de Infância esta semana e foi difícil, mais do que eu esperava.  Talvez porque na creche tinha corrido tão bem...

No primeiro dia chorou berrou agarrou-me não me deixou sair da sala por nada... parecia que o iam matar... "mamã não bai-te imbora..." (a célebre frase dele) "ficáqui"... e agarrava a minha mão com a maior das forças. O olhar de esguelha é algo que o caracteriza enormemente. Jamais me esquecerei do olhar dele através do canto do olho sem mexer a cara somente os olhos... é de rir e ao mesmo tempo de sentir pena pois é o medo que o faz reagir assim. Estavam também outros pais na sala que não conseguiam sair... alguns meninos choravam bastante até que a a coisa se descontrolou mesmo, e o berreiro e a desordem eram absolutos. Aí o mundo do meu filho desabou,  ele deixou de conseguir conter o choro e agarrou-me ainda com mais força. Eu andava ao mesmo tempo a tentar acalmar outros na esperança de não perturbarem tanto o meu mas foi impossível. Estive lá duas horas  no meio de uma grande agitação e desesperos até que a certa altura achei que estava na hora de ganhar coragem e sair. Ele tinha que enfrentar sozinho... Ele é meu filho e aqui "a força nunca foi fraca" por isso virei costas, deixei-o em pranto ao colo da educadora e saí. Ainda aguardei uns minutos do lado de lá... não queria deixá-lo assim, como era fácil num segundo apenas dar-lhe todo o amor que precisava, atenção e segurança..., numa altura em que a vida dele anda tão difícil, mas não podia... era pior... ele ia ter que  ultrapassar sozinho, é assim que se cresce!  Esperei do lado de fora, tentei ouvi-lo mas não conseguia, só ouvia  gritos de outros... vim embora passado algum tempo... Até que antes do almoço telefonei para lá e tive uma surpresa... é que não podia ter ficado mais orgulhosa ao ouvir o que a educadora me disse: Mãe o António é um querido, é mesmo querido sabe aquilo durou dois minutos depois virou-se para mim e disse "não choro mais" e nunca mais chorou!" O meu coração derreteu   apeteceu-me logo ir a correr buscá-lo mas não, aguentei-me até ao terminar da sesta. Depois fui buscá-lo com o pai para ficar ainda mais contente e quando nos viu desatou a correr na minha direcção saltou para o meu colo escondeu a cara e chorou, chorou baixinho, aliviou, desabafou através de lágrimas, deitou para fora o que tinha engolido e eu mantive a serenidade dei lhe todo o meu amor e trouxe-o de volta. No dia seguinte levei-o até à sala, foi bastante melhor parecia que tudo ia ser fácil até olhar para mim e dizer de novo "não vai-te imbora"... Eu não podia voltar a fazer como no dia anterior e para não alimentar mais a cena virei costas e sai simplesmente, claro que ele ficou a chorar. Voltei lá no final da sesta e a educadora disse que ele tinha sossegado logo após e não tinha chorado mais. Nesse dia quando me viu a mim e à avó a chegar esboçou um sorriso enorme e veio feliz. terceiro e último dia desta primeira semana. Foi um pouco calado até à escola... e eu a antever o problema discursei muito muito... expliquei onde trabalhava, e o pai, expliquei que os avós ficavam com os bebés e por isso viviamos temporariamente com eles, e que os crescidos iam para a escola grande, como era o caso dele. Perguntei-lhe se ia chorar... ele disse que sim, eu disse que ele podia chorar que não tinha mal mas para saber que eu nunca o iria abandonar e que em breve voltaria a sentir-se feliz, com novos amigos. Expliquei-lhe tudo o melhor que pude, pois não gosto de esconder ou mentir. Ele continuava de poucas palavras. Chegados lá brinquei ao pendurar a mochila no cabide e ele riu, depois ajoelhei-me em frente a ele encostados na porta da sala que ja estava fechada, e disse algo do género: agora vais entrar, a mamã vai embora e tu vais brincar. Dá-me um beijinho e vai correr bem. Ele deu-me uma beijoca na boca (às vezes faz isso, algo que não gosto de ver mas que adoro sentir) e eu disse bate tu à porta ele sorriu e bateu, eu abri-a. A educadora chamou-o, estavam a cantar a canção dos bons dias a Jesus e ele lá foi para o sítio que ela indicou, eu fechei a porta e aguardei. Eles iam dizendo, ou não , os bons dias cada vez que ela chamava o nome de cada um, e no momento que disse bom dia António eu ouvi-o responder bem alto: bom dia! Fiquei tão feliz e orgulhosa dele... de coração mais sossegado regressei a casa. Depois resolvi ir buscá-lo mais tarde, deixei-o já a lanchar... e que bem que ficou nem podia acreditar. Quando apareci de novo com a avó fez muita festa, estava feliz e eu feliz fiquei. Penso que segunda-feira vai voltar tudo ao mesmo, à dificuldade inicial, mas o primeiro passo foi dado e agora é só aguentar para que se acostume e entre na rotina. Prova superada filho és um valente! Terrorista qb mas o meu orgulho! Não é fácil lidar com tanta mudança como a que tens tido mas estás a conseguir, boa!

01
Set15

Amanhã será outro grande dia!


Embuscadamaternidade

E eis que amanhã o AM tem o seu primeiro dia no jardim infantil, como as coisas andam nao consigo deixar de recear

Não me sai da cabeça a frase de todos os dias " mama não bai te imbora" só de pensar nas constantes

Mudanças da vida dele e as dificuldades que temos enfrentado parte se me o coração. Neste momento tenho os pivetes a choramingar esta hora da noite é sempre dificílima e eu mal tenho tempo para organizar as coisas para o mais velho que tanto precisa de mim. A ver vamos como corre depois conto. Beijocas

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Visitas

free counter

Estatísticas


Estatisticas Gratis

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Agora