Diário de alguém que sonha ser Mãe e tem o difícil papel de tratar a infertilidade por tu.

.posts recentes

. Olá! Então essas férias?

. Terapias, trabalhos, cans...

. Nova busca nova esperança

. Diagnóstico quase confirm...

. Longe de nós...

. Parar, pensar e saborear....

. Novidades nossas!

. A vida corre e não olha p...

. Nó na garganta, coração a...

. Os primeiros passos da fi...

.arquivos

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

Sábado, 2 de Abril de 2016

A caminho dos 9 meses e os desafios continuam

Olá a todos!

É incrível como todos os dias penso como estou em falta convosco e mesmo assim não arranjo oportunidade de passar aqui.

A vida continua no ritmo acelerado que há muito encontrou. Os desafios são constantes, difíceis mas gratificantes.

Março foi o mês das doenças, acho que afectou todos cá em casa. Felizmente aos mais pequeninos passou de raspão. Mas o mais velho esteve 15 dias em casa. Primeiro com gripe e depois com otite, primeira otite de sempre. E nem vos digo nem vos conto o cansaço que foi. Eu também tive a minha parte da doença, amigdalite ao mesmo tempo que o António e foi de loucos. Páscoa não houve. nem sequer disposição para tal, o meu marido também ficou de cama. Cenário: Pequeninos para tratar, doenças no ar, o mais velho para entreter foi a loucura total. Eu pensei que fosse rebentar de cansaço. O António, que andava já bastante melhor, voltou a ter o seu mau feitio caprichado! Ui, ui. E no meio desta trapalhada toda só posso ficar agradecida por tudo ser passageiro e estarem todos cá comigo...

Há dias ele disse-me o seguinte: "Mãe não quero que morras." O meu coração foi ao chão!  Eu também não quero morrer, não posso deixá-los, não quero deixá-los. Nunca mais os ver? Ui só de pensar doi, doi muito. E eu adoro viver! Mesmo com todas as partidas, acho fantástica a vida, um mistério e encanto absolutos.

Quando eu era pequena pensava muito na morte e sentia uma angustia enorme. Agora faço por evitá-lo. Até que entretanto o meu filho de três anos me lembra que podemos não nos ver mais a qualquer momento e é duro...

Estes últimos tempos tem-se saído assim com umas mais fortes, talvez por estar a dar os sentimentos no jardim infantil... Eu costumo dizer que ele o que tem de terror tem de amor e é verdade. Vou anotar algumas frases que me disse: "Mãe dá-me o teu ouvido... gosto muito de ti... até à Lua!" Adoro quando diz isto... :-) ou então: "Mãe desculpa tudo" eu derreto-me... também adoro ouvi-lo dizer "eu sabo" (eu sei); e sinto um enorme orgulho por ter aprendido a distinguir as palavras um pão dois pães, tres paes à primeira, ou saber apontar a esquerda e a direita. Nao quero saber se os outros também já sabem ou não, se está à frente ou atrás. Eu adoro vê-lo crescer! E cada conquista é um preenchimento para mim. Adoro. 

Isto tudo para dizer que os dias foram um stress, ele não se contenta com nada, não consegue estar fechado, parado, calado, não comia nada, enfim ... em contrapartida irmãos são tão calminhos, tão queridos. Não há igual! Dormem 10 horas/12 horas sem chamar. Eu ainda nem acredito, são fantásticos!  Eles já têm mais dentinhos e já andam mais mexericas, mas ainda assim estão um pouco atrasadotes. Já deviam sentar-se e ainda não conseguem, pelo menos sem apoio. Eu sei que o limite expectável é os nove meses, mas para eles já não vai ser! Ainda vão ser mais preguiçosos que o irmão? Ó Jesus! 

O miudo so quer televisão, se desligamos ou nos pusermos à frente ele choraminga e protesta... incrível! Ela não. Mexe em tudo é bem mais curiosa nesse sentido e tão meiguinha...

O meu desafio futuro é ir com todos de férias, vou esperar que façam um ano e no verão vamos todos passear. Acho que merecemos! Já sei que depois vou precisar de férias das férias, mas vai ter de ser. Nem que seja só para mudar de ares, já sabe bem.

E mais uma vez vou ter de ir, sempre no corre corre! Fico com mil coisas por contar.

Mal possa volto.

Entretanto recebi uns comentários muito giros e quero agradecer a quem me segue, e a quem as minhas histórias vão ajudando de alguma forma. A ideia deste blogue é dar força a quem passa pela infertilidade. Vou fugindo ao assunto, porque a vida rolou. Mas nunca ficarei indiferente a este tema, até porque tenho três frutos dela comigo, para sempre! Espero que consigam do fundo do meu coração tudo aquilo que desejam. De facto ser Mãe é maravilhoso. mas também vos digo se por ventura não conseguirem ter do vosso sangue abram a mente a outras hipóteses, era isso que eu faria de certeza. São uma companhia, uma alegria. Uma razão para viver.

E hoje fico com esta frase que é tão verdadeira: "Amar exige sacrifício"


publicado por Embuscadamaternidade às 14:44

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Visitas

free counter

.Estatísticas


Estatisticas Gratis

.Agora

blogs SAPO

.subscrever feeds