Diário de alguém que sonha ser Mãe e tem o difícil papel de tratar a infertilidade por tu.

.posts recentes

. Olá! Então essas férias?

. Terapias, trabalhos, cans...

. Nova busca nova esperança

. Diagnóstico quase confirm...

. Longe de nós...

. Parar, pensar e saborear....

. Novidades nossas!

. A vida corre e não olha p...

. Nó na garganta, coração a...

. Os primeiros passos da fi...

.arquivos

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

Sexta-feira, 19 de Outubro de 2012

Olá a todos!

Não prometo que venho contar muita coisa até porque o meu baby deve estar a chamar-me para lanchar {#emotions_dlg.blink} mas posso dizer-vos que este papel de mãe de primeira viagem tem muito que se lhe diga. Em primeiro lugar e antes de qualquer coisa, estou super apaixonada pelo meu António Maria, e depois vem o segundo lugar AHAHHA, que é o "trabalho" que eles dão...{#emotions_dlg.tongue}

 

Bem mas vou conjtar-vos a história do início para ninguém ficar baralhado.

 

Lá fomos nós de manhãzinha bem cedo, há precisamente uma semana para a Cuf, muito ansiosos com tudo o que nos esperava e ainda mais por aquilo que não sabiamos. O desconhecido é de facto um forte adversário... Eu ia calma, aliás posso dizer que nunca fiquei muito nervosa durante todo o processo.

 

Depois de instalados no quarto, e passado um bom bocado, por atraso da equipa médica, lá me levaram para o bloco. Lá administraram-me a epidural. Confesso que me custou um pouquito mais do que imaginava... Lá estava eu sentada na maca, (é assim que nos espetam a agulha nas costas) sem o meu marido, porque eles não assistem a essa parte a rezar para que tudo corresse bem. Mal me podia mexer com o barrigão e a anestesia parecia demorar uma eternidade a fazer efeito... a certa altura começo com um valente formigueiro na perna esquerda, mas sentia tudo na mesma. Lá tive que me deitar, pois a operação estava prestes a começar.

 

No bloco o ambiente estava fantástico, só tenho maravilhas a dizer da equipa. E ao som de música dos anos 80 (a minha preferida) começaram os preparos. Posso dizer-vos que me lembro de ouvir Bryan Adams e Dire Straits e ainda soletrar algumas letras. Mas aí começava a ficar um pouquinho nervosa, porque sentia tudo o que me faziam... Entretanto entrou o meu marido para assistir, sentando-se ao meu lado, beliscavam-me a barriga e doía, perguntavam-me: "ainda sente isto" e lá respondia eu que sim, com medo que me abrissem a sangue frio. Até que a certa altura deixaram de perguntar e eu só sentia puxões e empurrões e aí percebi que já estava anestesiada.

 

Vieram quatro mãos para cima de mim e por baixo do meu peito carregaram com toda a força. Só me lembro de ouvir dizer, está com o cordão à volta, e em dois segundos o miúdo berrava cá fora. Eu tentei espreitar o máximo que pude, mas a posição em que nos encontramos não permite ver grande coisa. Vi-o de relance no ar, até que chegou o meu momento. Trouxeram-no de imediato à minha cara, e mesmo sem eu conseguir vê-lo deixaram-me dar-lhe muitos beijinhos na bochecha, que senti super macia... Escorreram-me lágrimas, não pude evitar pois nunca senti nada assim, nada... Ainda agora quando me recordo sinto um receio enorme de lhe poder acontecer algo, porque gosto demasiado dele. A isto se chama amor de mãe, o laço reforçou-se logo ali. Depois deo meu marido me dar um beijinho levaram-nos aosdois para outro lado.

A partir daí as coisas foram um bocado mais incómodas, a parte das costuras, o virar-me dum lado para o outro, o sentir de mãos dentro de mim,os puxões, os amassos, os orgãos a serem todos repuxados, enfim... não dói mas a impressão e a força é mais que muita. Claro que eu já só pensava, ele está cá fora, consegui!!!

 

Passados uns bons 30 minutos levaram-me do bloco e trouxeram-no até mim. Esperamos pelo meu marido que veio por outro corredor e juntos seguimos em direcção ao quarto. Deitaram-no na minha maca, colado a mim. Só me apetecia ver-lhe a cara, mas tinha muita dificuldade, e ele já vinha de gorrito, mal sabia se tinha cabelo ou não... Aí já me tinham dado as medidas dele e a pediatra dito que tudo estava bem.

No percurso até ao quarto aguardavam os tios e os avós emocionados. Só me lembro de ouvir a minha cunhada dizer: Vem aí! E veio tudo a correr para a nossa beira. Depois fomos até ao quarto onde começaram os preparativos e eu finalmente vi a carinha dele, e que carinha. É simplesmente LINDO.

 

Esta foi a etapa da cesariana agora vou resumir o mais possível o resto senão o puto chama-me entretanto.

 

Passamos lá 4 dias, 3 noites internados. Eu tive dores, enjoos, vomitos, fraquezas, etc. Imaginava que o meu pós operatório fosse muito mais fácil do que foi realmente, até porque conheço casos de mulheres que simplesmente no próprio dia já pareciam não terem passado por nada. Mas comigo não foi assim e ainda hoje não é. Reagi mal à medicação, em especial à morfina e fiquei triste porque nunca estive assim lá muito bem para receber as visitas e sobretudo para estar com o meu bebé. Que calminho que ele era... era ouviram bem :PP O meu marido pode fazer tudo com ele, dar-lhe o primeiro banho, trocar-lhe as primeiras fraldas e eu nada, simplesmente continuava incapaz de me levantar...

 

Viemos para casa, comigo ainda totalmente combalida, onde tivemos logo o primeiro teste. Durante a tarde ele esteve como hoje, nem se ouviu mas de noite, ai essa noite até me custa lembrar... Foi uma gritaria pegada. Concluimos que as cólicas tinham começado. E hoje apesar de parecer melhor e de noite já conseguirmos dormir umas 3 horas seguidas, costuma queixar-se sempre. As madrugadas são um suplício...

 

Tenho tanto para contar-vos mas por agora vou ficar por aqui... vou-vos dando notícias e sim também já tenho histórias engraçadas dele para contar, uma envolve uma muda defraldas :P Depois conto.

 

Beijinhos e apesar de todos os desafios, medos, angústias, cansaço e dores pós operatórias o nosso filho vale tudo, qualquer sacrifício e estamos aqui babados pela sua existência e prontos para o fazer muito feliz!

 

Até breve, já acordou!{#emotions_dlg.inlove}

 

 

 

tags:

publicado por Embuscadamaternidade às 16:50

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Visitas

free counter

.Estatísticas


Estatisticas Gratis

.Agora

blogs SAPO

.subscrever feeds