Diário de alguém que sonha ser Mãe e tem o difícil papel de tratar a infertilidade por tu.

.posts recentes

. 1 Mês de creche, os desaf...

. Olá! Então essas férias?

. Terapias, trabalhos, cans...

. Nova busca nova esperança

. Diagnóstico quase confirm...

. Longe de nós...

. Parar, pensar e saborear....

. Novidades nossas!

. A vida corre e não olha p...

. Nó na garganta, coração a...

.arquivos

. Outubro 2017

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

Quarta-feira, 8 de Fevereiro de 2012

Estimulação Ovárica

Depois de uns dias ansiosos e de alguns furitos na barriga, ao lado do umbigo, fomos à consulta marcada. Para minha surpresa era outro ginecologista,  Dr. José Teixeira. Gostei logo muito dele. Rimos, brincamos. Deu-nos a confirmação que de acordo com o teste do meu marido quase de certeza que não seria necessário recorrerem à biópsia, pois em tantos ejaculados conseguiriam com muita probabilidade encontrar alguns de qualidade. Eu voltei a perguntar se a questão de recorrer a esperma de dador estava fora de questão e ele disse que sim, para já nem pensar mais nesse cenário. Confesso que fiquei bem mais aliviada, que não prefere ter do próprio marido? Mas se tal fosse necessário recorreriamos, até porque já tinhamos falado sobre isso. mas não posso deixar de referir que são decisões dificílimas com que temos de lidar para resto da vida. Numa altura destas deve-se manter a calma entre o casal, respeito e a amizade, pois só assim se podem ultrapassar problemas/crises desta dimensão. {#emotions_dlg.heart}Nesse aspecto nós entre ajudamo-nos desde o primeiro minuto. Sempre nos apoiamos. O maior problema até aqui foi o de não contar a ninguém o que se passava. Parecendo que não era um peso insuportável. até que decidimos contar aos pais e irmão e tudo ficou mais fácil. Isto porque já tentavamos engravidar há dois anos, e muita gente sabiae fazia perguntas estranhando claro o facto de ainda não termos conseguido... tudo isso mexe connosco. {#emotions_dlg.sidemouth}

Bem, então lá estavamos nós em plena ecografia, o Dr. Teixeira sugeriu ao meu marido que assistisse, e pôs-se a analisar...resultado:

Já bastantes folículos (o que envolve os ovócitos), com tamanhos entre os 8 e os 12m. Pelos vistos o resultado era bom, para a primeira consulta. Curiosamente os do lado esquerdo desenvolveram sempre mais.

Pediu-nos para regressar no dia 28 Janeiro (ou seja 3 dias depois) para reanalisarmos e receitou-me outro medicamento. O Orgalutran.

Nesta fase os médicos têm que nos acompanhar através de ecos,  o mais frequentemente possível,pois deve ser evitada uma hiper estimulação ovárica, considerado o maior risco do tratamento em questão.

Às 20.00horas fiz 1Puregon(150) + 1 orgalutran (0,25)

Para além da orgalutran ter-me doído nesta noite passei muito mal, já não me lembrava de estar tão mal tive tonturas, desiquilibrios, sensação de desmaio, enjoos e vomitos. Pedi ao meu marido que me levasse para a cama e assim fiquei durante horas até adormecer. {#emotions_dlg.ill}De tal maneira que de manha ainda nao estava bem e liguei para o consultorio, onde me disseram que se persisistissem estes sintomas ir lá no dia seguinte. Fiquei cheia de medo. Muito mesmo. Pensei que estivesse em risco para além da minha saúde todo o tramento.

Mas não, tal não aconteceu mais. Continuei a medicação das duas injecções por dia e nada voltou a correr mal.

 


publicado por Embuscadamaternidade às 11:18

link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Catarina Conceição a 13 de Outubro de 2012 às 14:36
Olá ! Eu sou a Catarina e sou aluna do 12º ano e, neste momento, estou a fazer uma trabalho sobre Infertilidade para a disciplina de Biologia. Para completar melhor o nosso trabalho gostaríamos de poder referir um testemunho real, mas como não conhecemos ninguém pessoalmente que passou por sememelhante processo gostaríamos que nos desse autorização para utilizar algum conteúdo publicado no seu blog. Se fosse possível talvez, até responder a algumas questões. Deixo para isso o meu mail: d_conceicao@live.com.pt :) obrigada desde já e tudo de bom.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29
30
31


.Visitas

free counter

.Estatísticas


Estatisticas Gratis

.Agora

blogs SAPO

.subscrever feeds